Com cobertura de 100% da capital, UPAS realizam quase 40 mil atendimentos por mês

  • 09 de Julho de 2019

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAS), localizadas nos bairros Satélite, Promorar e Renascença, mantidas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), realizaram, somente no mês de junho de 2019, cerca de 36.248 atendimentos a usuários em situação de urgência. Cada unidade, considerada de porte 3, abrange território de 300 mil habitantes e, ao todo, as três unidades garantem a cobertura de 100% da capital piauiense, conforme parâmetros do Ministério da Saúde.

Sofrendo com fortes dores estomacais e mal estar, a dona de casa Luzia Maria, de 44 anos de idade, buscou atendimento na UPA do Satélite e ficou satisfeita com a assistência. “Tenho algumas doenças crônicas e às vezes fico em crise. Já vim várias vezes à UPA. Toda vez que venho, sou bem atendida. O atendimento é ótimo e a estrutura também. Só tenho que agradecer aos profissionais”, conta.

As UPAS funcionam como elo entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e os Hospitais. “As estruturas são magníficas e permitem atendimento de casos de urgência e emergência em qualquer dia e hora. Todos os usuários têm as suas necessidades de saúde resolvidas. Ou permanecem nessas Unidades por até 24horas e tem alta ou, se necessitarem de mais cuidados, são encaminhados para hospitais da rede”, explica o presidente da FMS, Charles Silveira.

Como se destina à urgência, o atendimento nas UPAS não é por ordem de chegada, mas por classificação de risco. “Na UPA, o usuário passa pelo setor de classificação de risco. Se for classificado como grave, é atendido pelo médico rapidamente. Já os pacientes com quadro de saúde pouco urgentes ou não urgentes, têm condições clínicas de aguardar pelo atendimento médico. Essas pessoas com quadro simples poderiam também ter buscado atendimento em UBS”, ressalta a diretora hospitalar da FMS, Jesus Mousinho.

Todas as UPAS possuem sala vermelha, destinadas ao atendimento de casos mais complexos. Os leitos são equipados com ventilador mecânico, oxímetro, aspirador e máquinas para monitoramento cardíaco. “Um usuário que chega infartado, por exemplo, terá todo o suporte necessário, pois a sala é bem completa.”, explica o diretor clínico da UPA Renascena, Rogério Araújo. Ele ainda informa que há oferta de exames de raio-X, laboratoriais e eletrocardiograma.